Artigo “O IMS e os desafios de hoje”

Por Gulnar Azevedo e Rossano Cabral –

O Instituto de Medicina Social (IMS), desde sua origem, no início da década de 1970, sempre priorizou a formação em pós-graduação e as pesquisas sobre a saúde das populações e áreas correlatas.

O nome “Medicina Social”, dado no momento de sua criação, já se distinguia do título “Higiene”, utilizado na época na Universidade Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e, também, de “Saúde Pública”, termo que no Brasil ficou reconhecido e identificado pelas ações realizadas pela Fundação Especial de Saúde Pública (Fundação SESP). A concepção de Medicina Social era mais ampla porque associava ciências sociais, epidemiologia (priorizando a determinação social das doenças) e políticas de saúde. Incluía, ainda, correntes do planejamento e administração de saúde e contemplava os fatores biopsicossociais implicados nos fenômenos da saúde e da patologia (CORDEIRO, 2004).

Leia artigo completo AQUI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *