Seminário “Desafios além da Carne Fraca: comida, saúde e ambiente”

A Operação Carne Fraca, recentemente desencadeada pela Polícia Federal no Brasil, trouxe preocupações aos consumidores brasileiros e de vários outros países. Neste seminário, pesquisadores e ativistas debaterão as principais características e tendências da cadeia produtiva da carne, crescentemente globalizada. Serão abordados aspectos econômicos e políticos envolvidos nessa cadeia produtiva, assim como seus impactos sociais, ambientais e na saúde da população. Pretende-se contribuir para a expansão da produção de conhecimento, da formação em todos os níveis, e das formas possíveis de participação  social  e transparência relacionadas a esse importante tema.

O seminário é uma iniciativa conjunta dos programas de pós-graduação dos Institutos de Nutrição e Medicina Social da UERJ, com co-promoção da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, e Centro Brasil de Saúde Global. Constará de mesas redondas, debates, e lanche coletivo. Serão emitidos certificados de participação.  Em breve, serão divulgadas a programação completa e instruções para inscrições e participação online.

As seguintes principais perguntas serão objeto de nossas reflexões e debates:

– Quais são as principais características e tendências contemporâneas da cadeia produtiva da carne, globalmente e no Brasil? Qual o grau de utilização no Brasil das técnicas de confinamento na criação de animais do tipo Concentrated Animal Feeding Operation (CAFO)?

– Que relações existem entre a cadeia produtiva da carne e a produção de soja e outros grãos para forragem?

– Qual o impacto da cadeia produtiva da carne no desmatamento, redução de biodiversidade, crise hídrica e mudanças climáticas?

– Quais são a natureza e a intensidade das relações entre a cadeia produtiva da carne e instâncias do Estado e do Congresso Nacional na definição de políticas públicas?

– Quais as consequências da política dos “campeões nacionais” do BNDES (2008-13), em relação à cadeia produtiva da carne?

– Na cadeia produtiva da carne, que situações estão documentadas sobre: a) relações trabalhistas, b) condições de saúde dos trabalhadores, c) elementos de bem-estar animal

– Quais são as boas práticas conhecidas na cadeia produtiva da carne?

– Na fiscalização de produtos de origem animal, quais as competências legais do SUS, ANVISA e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento? Quais tem sido as consequências (positivas? negativas?) dessa divisão de responsabilidades?

– Como os marcos regulatórios brasileiros para fiscalização de produtos de origem animal comparam-se àqueles existentes em outros países?

– O governo federal anunciou a decisão de atualizar o Regulamento da Inspeção Industrial e Sanitária de Produtos de Origem Animal (RIISPOA) de 1952. O que deveria ser mudado?

– Que relações existem entre a cadeia produtiva da carne e a saúde da população? Quais são a magnitude e os efeitos do uso de agrotóxicos (nos cultivos associados à produção de forragem) e de hormônios e antibióticos utilizados na criação de animais?

– Como fazer valer os direitos do consumidor, por exemplo, quanto ao desconhecimento da origem dos alimentos e sua vulnerabilidade a fraudes?

– Quais as formas possíveis de participação  social  e transparência relacionadas a esse importante tema?

 

Seminário

DESAFIOS ALÉM DA CARNE FRACA: COMIDA, SAÚDE E AMBIENTE

18/04/2017 – 8:00-18:00

UERJ – Pavilhão João Lira Filho – auditório 111 R. São Francisco Xavier, 524 11º andar

Organizadores: Inês Rugani Ribeiro de Castro & Eduardo faerstein

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *