Dia 27/06 ))) Roda de Conversa da disciplina “Reflexões sobre a Crise”

Quem Estamos Formando? Para Que e Como Realizamos essa ‘Missão’?

Como seu nome já revela por si, a disciplina “Reflexões sobre a crise” foi idealizada pelos professores Ruben Mattos, Paulo Henrique Rodrigues, Ronaldo Teodoro e André Mendonça com o intuito de pensar, juntamente com os demais participantes, sobre o tempo sombrio que estamos atravessando no Brasil e no mundo. Enquanto ainda a concebíamos, a nossa primeira decisão tomada foi a de não fazer escolhas prévias em termos de conteúdo, tampouco de “forma”, uma vez que a nossa premissa maior fora a de que deveríamos apostar justamente na oportunidade de cada um de nós poder defender nossas próprias ideias de modo autônomo, democrático e responsável. Quatro dessas aulas, vale lembrar, fizeram parte das atividades de mobilização do instituto, em que nós discutimos sobre a crise do estado brasileiro no contexto da crise mundial, a crise de sentido nas sociedades capitalistas contemporâneas, o avanço da oligarquização do poder em detrimento da soberania popular e as possibilidades de uma democracia de alta intensidade por meio de uma nova ecologia dos saberes, respectivamente.

Chegando agora ao final do processo, nós extraímos a conclusão de que a proposta foi realmente bem-sucedida (fizemos inclusive uma roda de conversa avaliativa da própria disciplina com todos os seus participantes): nós tivemos ocasiões de travar discussões bastante profícuas e edificantes, e tendo em todas elas uma participação inestimável e decisiva dos discentes. Compartilhamos ideias, experiências e, de modo especial, valores e afetos, o que propiciou a constituição – em reação à trágica conjuntura sob a égide de um presidente ilegítmo e um governador inominável – de uma espécie de coletivo saúde.

No penúltimo encontro, nós realizamos um excelente debate a partir do clássico ensaio A ciência como vocação, de Max Weber, selecionado em função de algumas reflexões terem desembocado na questão dos processos formativos, como se nós estivéssemos orientados pela assunção comum de que grande parte das agruras e mazelas advenientes das crises sucessivas e cada vez mais agudas que nos assolam terem a ver, direta ou indiretamente, com o fato de vivermos em sociedades pautadas por “princípios educativos” sempre mais utilitaristas e mercantis. Daí termos construído coletivamente a proposta de encerrarmos essa “1ª edição” da disciplina com uma roda de conversa sobre formação, aberta à toda comunidade do IMS. O mote principal consiste em refletirmos sobre o sentido da ideia de universidade, tal como o compreendemos e o colocamos em prática na convivência cotidiana de nossa pós-graduação, com ênfase no eixo ‘ensino’ – amiúde negligenciado face ao “primado” da pesquisa: por meio de nossas aulas, orientações, “cafezinhos” etc., quais sujeitos nós estamos formando, para que o fazemos e de que modo?

É só aparecer e fazer uso da fala nesse espaço trans/formador que é a ‘roda de conversa’.

Data: 27 de junho às 09h30.

Local: Sala 7003 – IMS-UERJ – 7º andar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *