Bruno Zilli lança livro “A perversão domesticada: BDSM e consentimento sexual”

No dia 12 de abril, o antropólogo Bruno Zilli lançou o livro “A perversão domesticada: BDSM e consentimento sexual”, que analisa o discurso BDSM — sigla para práticas sexuais que envolvem dominação, submissão e sadomasoquismo —, tal como presente em manuais de orientação para sua prática, disponíveis na internet. O foco está na importância atribuída à garantia de que a prática do BDSM seja “sã, segura e consentida”. Particularmente central para os praticantes é a noção de “consentimento”, condição essencial para que o BDSM não se confunda com a violência sexual. A análise é desenvolvida em diálogo com a psiquiatria, situando-se em uma rubrica mais ampla, ou seja, os critérios utilizados pelos vários saberes disciplinares para a definição daquilo que é “normal”. O trabalho de Bruno Zilli nos oferece, assim, um caso fecundo para uma discussão canônica das Ciências Sociais: a temática do “desvio”, em sua relação com as formas variadas da discriminação, muitas vezes justificadas por meio de complexas relações entre saber e poder.

Bruno é mestre em Saúde Coletiva e doutor em Ciências Sociais pela UERJ. É membro do Centro Latino Americano em Sexualidade e Direitos Humanos — CLAM, programa de pesquisa vinculado ao Instituto de Medicina Social (IMS/UERJ).

“A perversão domesticada: BDSM e consentimento sexual”
ISBN: 978-85-92989-14-9
Preço de venda: R$45,00

Loja Virtual: papeisselvagens.com

Livrarias: Da Travessa (Rio), Blooks (Rio, São Paulo, Niterói), Berinjela (Rio), Livros & Livros (Florianópolis), Boto Cor de Rosa (Salvador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *