Dia Mundial de Luta Contra a Aids: Solidariedade, Sexualidade e Direito à Saúde

No cenário da resposta à Aids no Brasil observamos um singular apagamento da sexualidade e do gênero enquanto eixos críticos do desenrolar da epidemia. Entretanto, predomina uma retórica do otimismo perante ao controle da epidemia – propalada internacionalmente – , onde resta pouco espaço para compreender a produção de significados, subjetividades e modos de cidadania. Perante este cenário desafiador, onde o acesso universal à terapia antirretroviral também pode estar em xeque, o evento pretende instigar reflexões sob o ponto de vista da academia e do ativismo em torno ao 1o de dezembro – Dia Mundial de Luta contra a AIDS – . As mesas redondas que compõem a programação se baseiam nas discussões colocadas em dois dossiês temáticos organizados por Sexualidad, Salud y Sociedad – Revista Latinoamericana (agosto e dezembro, 2018), que reúnem um conjunto atualizado de análises críticas em torno ao HIV/Aids, os desejos, as identidades e os ativismos no Brasil.

LOCAL: Auditório Do Ims / 6º Andar

HORÁRIO: 09-12 horas

DATA: 4 de dezembro 2018

Esse evento faz parte das Jornadas sobre saúde e direitos humanos organizadas pelo CLAM nos dias 3 e 4 de dezembro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *