Novos diretores de unidades acadêmicas tomam posse

Em cerimônia realizada nesta terça-feira (3), no Teatro Odylo Costa, filho, a Universidade do Estado do Rio de Janeiro deu posse aos 33 diretores de unidades acadêmicas eleitos para o quadriênio 2020-2023. O reitor Ricardo Lodi Ribeiro abriu a solenidade ressaltando a missão dos novos gestores. “A Uerj é um oásis de liberdade e pensamento crítico, num momento em que precisamos provar que a Terra não é plana. Nosso maior desafio será aproximar a Universidade da população e podemos fazer isso mais e melhor que qualquer outra instituição pública de ensino”, afirmou.

Além de dirigir sua faculdade ou instituto, cada um dos empossados assumiu também o compromisso com a sociedade, de trabalhar por uma universidade pública e democrática, com a proposta explícita de contribuir para o crescimento social fluminense, por meio do ensino, da pesquisa, da extensão e da promoção cultural. “Abrir o equipamento cultural da Universidade aos fins de semana será uma forma de nos aproximarmos da comunidade”, enfatizou o reitor para uma plateia repleta de alunos e servidores, entre eles líderes estudantis e sindicais.

A pró-reitora de Extensão e Cultura, Cláudia Gonçalves de Lima, discursou em nome dos demais pró-reitores e destacou a importância de se compartilhar os ideais em prol da Universidade. “Como mulher nordestina, eu aprendi desde muito cedo que sombra, água e pão se compartilham por amor e não por dinheiro. É isso o que temos que fazer pela Uerj. Conto com todos vocês para o desafio de fazer da Universidade uma referência cultural para a comunidade”, enfatizou.

O professor Bruno Deusdará, diretor do Centro de Educação e Humanidades, destacou que a solenidade foi um momento histórico da democracia do País. “Os escolhidos democraticamente receberam muitos votos, com muita representatividade em números absolutos. Muitos têm votos que elegeriam um vereador em muitas cidades fluminenses e até na capital”, revelou.

Por fim, em nome dos recém-empossados, o professor Marcos Bastos, diretor da Faculdade de Oceanografia, falou sobre a importância do cargo, lembrou a resistência nos anos de crise que a Uerj e o Estado do Rio enfrentaram e, citando Nelson Mandela, ressaltou a importância da perseverança: “É impossível até que alguém faça. Boa sorte a todos nós”, finalizou.

Participaram da mesa solene: o reitor da Uerj, Ricardo Lodi; a deputada estadual Enfermeira Rejane (PC do B), o vice-reitor Mario Sérgio Alves Carneiro; o pró-reitor de Graduação, Lincoln Tavares; a pró-reitora de Extensão e Cultura, Cláudia Gonçalves; representando o pró-reitor de Pós-Graduação e Pesquisa, Luís Antônio da Mota, o diretor do Departamento de Apoio à Produção Científica e Tecnológica (Depesq), Alex Christian Manhães; o diretor do Centro Biomédico, Jorge José de Carvalho; a diretora do Centro de Ciências Sociais, Dirce Eleonora Nigro Solis; o diretor do Centro de Educação e Humanidades, Bruno Deusdará; a diretora do Centro de Tecnologia e Ciências, Nádia Pimenta Lima; a presidente da Associação de Docentes da Uerj (Asduerj), professora da Faculdade de Serviço Social, Cleier Marconsin; a coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas Estaduais do Rio de Janeiro (Sintuperj), Regina Souza; o coordenador-geral do Diretório Central dos Estudantes (DCE), Paulo Victor de Almeida Coelho; e o presidente da Associação dos Pós-graduandos (APG), Rodrigo Torres do Nascimento.

  • Texto da Diretoria de Comunicação da UERJ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *