(Português do Brasil) Empossados três novos professores no IMS

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Laura Lowenkron, Ronaldo Teodoro e Ricardo Ewbank
Laura Lowenkron, Ronaldo Teodoro e Ricardo Ewbank

O Instituto de Medicina Social ganhou três novos professores, empossados na última semana de setembro. Aprovados no último concurso para docentes do IMS, os professores já integram os departamentos “Políticas e Instituições de Saúde” e “Planejamento e Administração em Saúde”. Laura Lowenkron, doutora em Antropologia Social pelo Museu Nacional-UFRJ (Políticas e Instituições de Saúde); Ronaldo Teodoro, doutor em Ciência Política pela UFMG (Planejamento e Administração em Saúde); e Ricardo Ewbank Steffen, doutor em Clínica Médica pela UFRJ (Planejamento e Administração em Saúde) já conheciam a trajetória de pesquisa e ensino de pós-graduação do Instituto e sua importância para o campo da Saúde Coletiva no Brasil. “Desde o início da minha trajetória acadêmica, tenho mantido interlocução constante com diversos professores e pesquisadores do departamento de Políticas e Instituições de Saúde do IMS e do CLAM, cujos trabalhos constituem importantes referências nas minhas próprias pesquisas e produção acadêmica. Além disso, tenho acompanhado, por meio de cursos, bancas, congressos e publicações, os trabalhos de diversos estudantes que integram o programa e com os que já passaram por lá, cuja qualidade e o olhar crítico expressam o excelente resultado da formação interdisciplinar oferecida pelo PPGSC-IMS/UERJ”, revelou Laura.

O professor Ronaldo Teodoro explicou que sua matriz de formação intelectual, descrita a partir de uma preocupação com a formação da cidadania no Brasil, entendendo-a como uma experiência que deve ser coletiva e simétrica em direitos e deveres publicamente compartilhados, compreende que os fundamentos republicanos dessa abordagem se encontram fortemente representados na tradição política que conforma o Sistema Único de Saúde (SUS). “Sob essa percepção da política, que considera as clivagens sociais, de gênero e raça que entrecortam o drama da formação da cidadania brasileira, as dimensões sociais da medicina tornaram-se objeto de decisiva preocupação. Com a tese de doutorado, ‘O FANTASMA DA CLASSE AUSENTE – as tradições corporativas do sindicalismo e a crise de legitimação do SUS’, defendida na UFMG em 2014, definiu-se o percurso das minhas preocupações intelectuais. Compreendo que o IMS possui grande tradição no tratamento dessas questões”, ressaltou o doutor em Ciência Política.

Conheça mais dos professores:

Ronaldo Teodoro

Laura Lowenkron

Ricardo Ewbank

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *