CAPES 7×1: Por que paralisar uma pós-graduação?

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Coletivo de Estudantes do IMS_UERJ

Ou, remodelando a pergunta acima: por que continuar as atividades da pós-graduação em um clima de normalidade no contexto atual? No estado do Rio de Janeiro, vemos nossas Universidades Estaduais e o órgão de fomento à pesquisa científica (FAPERJ) sem condições de funcionarem para atender às demandas de ensino, pesquisa e extensão com a qualidade necessária, à beira da inviabilidade total, mas ninguém assume a responsabilidade por isso e as providências necessárias para superação desse quadro são proteladas pelo governo estadual.

No âmbito do governo federal, assistimos ao achincalhamento público dos direitos sociais por este governo ilegítimo, por exemplo, com a extinção e desmonte de diversos Ministérios estruturantes de importantes políticas públicas. Entre os extintos está o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o que provoca imensa incerteza sobre os rumos da política nacional de pesquisa científica, tecnológica e inovação do país e suas consequências sobre a produção científica nas universidades.

Diante disso, o que, em geral, temos feito no âmbito das pós-graduações? Produzir, produzir, produzir… Sempre com a justificativa de atender aos requisitos colocados pela CAPES. Num horizonte próximo, haverá CAPES? A dinâmica da pós-graduação está assim tão deslocada da dinâmica universitária que nos coloque numa posição de excepcionalidade, no contexto de uma Universidade em crise e em greve? E os programas de pós-graduação que paralisaram suas atividades, na UERJ e fora dela, por que e como fizeram?

Essas e outras questões nos convocam ao posicionamento claro e à militância ativa. Por isso, o Coletivo de Estudantes do IMS/UERJ convida para uma grande roda de conversa com a participação do PPGAS-Museu Nacional/UFRJ (Programa CAPES 7 que paralisou suas atividades) e das demais pós-graduações da UERJ que encontram-se em greve ou paralisadas, que será seguida de uma Assembleia discente do IMS que visa discutir e problematizar o “modo greve” adotado pelo IMS na atual conjuntura. O microfone estará aberto, não haverá centralidade de fala e ocuparemos o saguão do térreo da UERJ. Há vida, há luta na UERJ! Há vida, há luta na pós-graduação!

A concentração será nos pilotis, próximo à entrada que dá acesso ao metrô.

13:00-15:00h: Roda de conversa

15:00-17:00h: Assembleia dxs estudantes do IMS

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *