(Português do Brasil) Saiba mais sobre os temas do 10º Congresso Brasileiro de Epidemiologia da Abrasco

Disculpa, pero esta entrada está disponible sólo en Portugués De Brasil. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

Faltam menos de 40 dias para a décima edição do Congresso Brasileiro de Epidemiologia da Abrasco. Acompanhe aqui a programação do congresso e saiba quais temas serão abordados nas conferências, mesas-redondas, palestras e debates.
As diversas violências e suas formas de prevenção vão movimentar o Congresso de Epidemiologia. No período de 34 anos, entre os anos de 1980 a 2014, o número de mortes por arma de fogo cresceu 592,8%, setuplicando ao fim do período o indicador inicial. Enquanto em 1980, o número foi de 8.710 casos (incluindo acidentes, suicídio, homicídios e causas indeterminadas), em 2014 alcançou-se 44.861 mortes. Os dados são do Mapa da Violência 2016. Este é um de tantos indicadores que aponta o crescimento desenfreado da violência e que traz o desafio de olhar tais fenômenos sob o prisma da Epidemiologia e da Saúde Coletiva. O Congresso será um espaço privilegiado para esta temática e reflexão. Leia mais aqui.
Iniquidade em saúde também terá destaque na programação do Epi. Estudos que evidenciem novos caminhos para a superação das desigualdades e pesquisas que avaliam a implementação de políticas públicas de enfrentamento foram os elementos que marcaram as escolhas da Comissão Científica para a temática. Os congressistas terão a oportunidade de ouvir e debater com os convidados as perspectivas de avanços teóricos e metodológicos nas pesquisas da área. O Congresso Brasileiro de Epidemiologia traz uma programação com destaque para os debates sobre as iniquidades em saúde e os efeitos das políticas públicas na saúde da população. Leia mais aqui.
O Congresso também vai debater a Austeridade e seus efeitos à saúde. Mudanças nas convenções trabalhistas; limite de gastos para investimentos em saúde, e extensão do tempo de serviço, ampliando quantitativamente e qualitativamente a mão de obra durante a terceira idade. São tamanhas as mudanças já vividas, recém-aprovadas e ainda em curso de aprovação no arcabouço jurídico do país que modificarão completamente os cenários demográficos e epidemiológicos da população brasileira. Os efeitos das políticas de austeridade sobre a saúde das populações será o tema da conferência do professor David Stuckler da Universidade de Oxford. Leia mais aqui. 
Fonte: Abrasco

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *